sexta-feira, 22 de abril de 2016

Nova tatuagem


Aquela que sai pro horário de almoço, faz compras, faz a unha, esbarra num tatuador, define desenho e local e volta pro trabalho com tatuagem nova e sem almoçar. Sou dessas!


A ideia da tatuagem era antiga. Não lembro exatamente quando surgiu. Queria fazer a terceira tatuagem há tempos e queria aproveitar para homenageá-lo. Não queria simplesmente escrever o nome, a princípio, queria um símbolo, algo que o representasse. Fiz pesquisas na internet e não encontrava nada que eu me identificasse. Há uns dois anos vi uma imagem dessas que compartilham na internet que me chamou atenção. Era o símbolo do infinito com pássaros, no meio estava escrito hakuna matata e no fundo um pôr do sol lindo! Salvei a imagem e fiquei com ela na cabeça. Montei a imagem com o nome Artur no meio e carreguei ela comigo. Procurei alguns tatuadores e nunca dava certo a agenda deles com a minha, ou tinha o problema da distância, ou alguma outra coisa... Enfim. Desde janeiro eu estava com a certeza que iria fazer a tatuagem, mas fui adiando. Ontem foi aniversário do Artur e ele foi pra casa do pai e vai ficar até domingo. Acabou que tudo coincidiu, o tatuador apareceu, estava com horário livre e decidi fazer. Quase desisti, porque ele me falou que o desenho que eu namorei por dois anos ficaria muito maior do que eu havia imaginado. Fui embora, fiquei pensando por uns 30 minutos (enquanto fazia as unhas) e decidi permanecer com a ideia e alterar um pouco o desenho, para que ficasse do tamanho que me agradava. Depois foi um dilema decidir o local da tatuagem, pensei no ombro, no pulso e no antebraço... Decidido! E, fiquei super feliz com o resultado final!
Desenho que eu queria tatuar

Significado: Os pássaros voando representam como vejo Artur. Simboliza liberdade, independência, sabedoria, inteligência, leveza, alma, amizade, anjo, poder de voar, mensageiro, criança. O símbolo do infinito representa meu amor sagrado e eterno, equilíbrio entre o físico e o espiritual. E, também acredito em todo poder que o número 8 carrega.


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Há 7 anos o mundo está melhor


"Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor

Desde que você chegou

E perguntou:
Tem lugar pra mim?

Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor
Porque você chegou

E explicou
O mundo pra mim

Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse o Artur..."



Gratidão, meu anjo, por existir, me dar vida, brilho e sentido!
Hoje o dia é todo seu! E todos os outros também!


Desejo que sua luz continue iluminando o caminho de todos
com quem compartilha momentos. E que você siga transformando esse mundo louco! Pois tenho certeza que ainda temos muito para aprender contigo.

Hoje acordamos juntos, coloquei uma seleção de músicas de parabéns para tocar, fizemos bagunça, demos risada, te enchi de beijos, abraços e apertos. Fiz o leite com chocolate que adora e te arrumei bem lindo. Foram apenas 30 minutos, mas
aproveitamos e comemoramos o seu aniversário juntos. Logo seu pai veio te buscar para passear e continuar a comemoração. Desejei o dia inteiro que você estivesse muito feliz e aproveitasse cada minuto. 


sábado, 16 de abril de 2016

Só o que nos faz bem





"E que a nossa ᏙᏆᎠᎪ
seja r͟͟e͟͟p͟͟l͟͟e͟͟t͟͟a͟͟ daquilo que nos faz B̥ͦE̥ͦM̥ͦ"


quarta-feira, 6 de abril de 2016

Saudade de um barrigão

Muitos dirão que engoli uma melancia, ou mais... 😂😂
06/04/2009 - 38a semana da gravidez na aula de Ginástica para Gestante.
E já se passaram SETE anos 😱😱






Hoje quando olhei para essas fotos voltei no tempo, relembrei sentimentos, pensamentos, medos, ... Naquela época eu não fazia a menor ideia do que estava por vir. Faltava tão pouco para o Artur nascer e eu estava alheia a tanta coisa. Lembro que a professora de Ginástica para Gestantes pediu várias vezes para me fotografar e o quanto eu relutei e adiei para não tirá-las. Lembro de ter olhado o resultado destas fotos e pensado em deletar tudo. Como tantas outras que eu deletei. Até o ano passado eu não suportava olhar para essas fotos, não conseguia...
Quanta coisa mudou! Hoje senti essa vontade de compartilhar, senti saudade.
Resgatei e fiz as pazes com aquela menina de 23 anos que se calou, se fechou, se afastou. Perdoei, finalmente, aquela depressão que me acompanhou durante os nove meses de gestação (e insistiu em aparecer mais algumas vezes depois). Principalmente, me perdoei! Pelos meus erros, pelas minhas escolhas, pelo que abandonei, pelo que permiti carregar sozinha em silêncio.
Eu tinha 23 anos, uma pós graduação em conclusão, um curso de espanhol em andamento, planos de intercâmbio para a Espanha (tudo praticamente definido), amigos, liberdade, festas e bares, viagens. O sonho de encontrar o amor e construir uma família... E, de repente eu tinha meus pais recém separados, não tinha mais minha família, um namoro acabado (por decisão minha) por não existir amor e não fazer mais nenhum sentido e a descoberta da gravidez. Assim, tudo ao mesmo tempo, de uma só vez. E eu não dei conta. Não conseguia entender e/ou aceitar. E era tão louco que eu não suportava a ideia da gravidez, das transformações na minha vida e no meu corpo, mas amava aquele Serzinho que estava gerando e viajava na ideia do que seria SER mãe. Ser mãe era um sonho que eu estava prestes a realizar. E eu sempre disse que seria mãe, independente de qualquer coisa. O Universo escuta! E aí você é pega desprevenida e não sabe mais de nada.
Ah, a depressão... Ninguém fala, ninguém assume, ninguém aceita. "Isso é frescura, é preguiça,..." diziam, julgavam. Repensei mil vezes antes de escrever esse texto aqui, justamente porque a repreensão é muito grande de todos os lados. As pessoas acham que só devemos falar do lado bom, das coisas boas. E viver uma mentira? Não consigo. Enfim, a depressão existe e fica ali do lado como um parasita. Foram altos e baixos durante esses últimos anos. Foi mais uma luta que venci. Artur me salvou! Por ele eu resisti, enfrentei e segui em frente. E, durante essa caminhada, tive ajuda da minha mãe que nunca me abandonou e não mediu esforços para me ajudar a levantar e também fui acompanhada por psicóloga em dois momentos mais críticos.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Vencemos a conjuntivite viral

Meu presente! 😍
E depois de longos, cansativos e desafiadores 20 dias vencemos a conjuntivite viral! 🙏🏻
Já estamos prontos para novos desafios e vamos correr atrás do tempo perdido!
Gratidão!!!