domingo, 20 de março de 2016

Rei Artur dodói

A vida pede pausas... Envia-nos desafios... E responde nossas perguntas...

Quarta-feira ligaram da escola e pediram que eu buscasse o Artur mais cedo. Ele não parava de coçar os olhos e estava com secreção. Liguei para a oftalmologista, busquei na escola e fomos direto pra lá. Confirmado! Artur estava com conjuntivite viral e teria que ficar em casa sob cuidados até melhorar. Chorou muito e não parou de reclamar da coceira nos olhos. Difícil conseguir que ele não esfregasse os olhinhos. E ele não conseguia entender que não podia estar com ninguém, somente comigo, devido a conjuntivite ser contagiosa. 

Consegui ajustar as coisas e fiquei trabalhando em casa na quinta-feira. Mas, para completar, justo nesse final de semana, eu tinha um curso para fazer, de sexta a domingo, de 8h às 23h. E, ninguém podia ficar com meu pequeno. Como o coração dói. Eu não podia abrir mão do curso, era muito importante pra mim. E queria cuidar e dar atenção ao meu pequeno. Era o que ele mais estava pedindo, "gritando": atenção! "Mamãe, para um pouco e fica mais comigo!". Momento de parar, repensar, refletir e mudar um pouco. Mas, não posso abrir mão de mim. Fui para o curso e tentei ao máximo estar lá de corpo e mente presentes. Difícil! Mas não impossível... E, necessário! Tiveram vários momentos fortes e que me apresentaram mensagens de que eu estava fazendo o certo. Afinal, preciso estar bem e fazer por mim para oferecer sempre o melhor pro meu filho.    
Deixei Artur na sexta-feira cedo na casa da minha mãe com a cuidadora da minha vó. Ele passou o dia me mandando mensagem no whatsapp, áudios, fotos e reclamando que estava sozinho e queria fazer alguma coisa. Meu irmão o levou para lanchar a noite e instalou um vídeo game pra ele brincar. Fui dormir com ele e saí cedo no sábado. Ele estava um pouco mais tranquilo e meu pai o levou pra passear a tarde. Aos poucos tudo foi se ajustando. Hoje o curso terminou mais cedo do que o previsto e já estamos juntos de novo. Mas, Artur ainda está com os olhos bem inchados e vermelhos, a conjuntivite permanece. Amanhã vamos novamente na oftalmologista. 
O curso foi maravilhoso e enriquecedor! Muita coisa para colocar em prática, mil novas ideias, planos, projetos. E uma sede gigante de mais conhecimento!

domingo, 6 de março de 2016

Tem criança aprendendo a costurar!

😱 Reclamei com o Artur que em menos de um mês ele rasgou a calça da escola e que agora tinha que costurar. Ele pediu que eu ensinasse para que ele mesmo fizesse! ☺️😂😍‪#‎pequenograndehomem‬ ‪#‎aos6‬ ‪#‎artur‬ ‪#‎homemtambemajudaemcasa‬

video

quinta-feira, 3 de março de 2016

Artur e bisa Glacy

Artur é abençoado! Tem o privilégio de conviver diariamente com a bisavó. Quando ele nasceu, a vó Glacy veio ficar comigo, corujar o primeiro bisneto, me fazer companhia e ajudar no que fosse possível. Naquele momento o Alzheimer já tinha começado a agir silenciosamente... Os anos foram passando e os dois sempre unidos por um amor único e especial. Ele era um bebê aprendendo e ela uma senhora começando a esquecer. Mas ensinavam um ao outro todos os dias. 
Aos poucos, Artur foi crescendo e sempre super cuidadoso e amoroso com a vó. Gostava de pentear os cabelos dela, escolher uma roupa bonita, sair para passear pelo jardim, brincar de esconder. Eles juntos são só risadas. Ela sempre preocupada com ele, querendo cuidar e dispensando as cuidadoras para que ficassem de olho só nele. 
Aos poucos ela foi esquecendo de todos, mas sempre o reconhecia. Quando eu quero começar uma conversa pergunto do Artur, seus olhos brilham, o sorriso abre e ela se sente em casa. 
Atualmente, Artur tem mais habilidades que ela, não é sempre que ela lembra dele, mas ele continua sendo a lembrança mais forte no coração dela. 
Um dia desses eles estavam deitados na cama conversando, brincando e dando risada. E ele perguntou pra minha mãe pq a bisa não podia lembrar de tudo, seria ainda mais legal, queria entender pq essas coisas acontecem... 
Enfim, aqui o amor transborda! E esses momentos, essas lembranças, esse amor ninguém irá tirar deles, jamais! 
E eu sou muito feliz e grata por meu filho ter essa experiência!