segunda-feira, 28 de março de 2011

Boi da cara preta

Depois que aprendeu a cantar... cada noite é uma música diferente... E como eu e qualquer outra pessoa que vai colocá-lo pra dormir costuma cantar pra ele, o Artur entendeu que ele tem que cantar pra gente dormir também. 
Essa noite "dormi" embalada com o "Boi, boi, boi, boi da cara preta! Pega o Tutuzinho que tem medo de careeeeta!". Mas ele canta repetidas vezes, em cada uma delas o nome muda: titio, vovô, titia Nana, mamãe, vovó, ... 
Eu me seguro pra não dar gargalhada. Fecho os olhos e finjo que estou dormindo. Quando ele cansa, vira pro outro lado e dorme... Espero que não esteja sonhando com o Boi da cara preta! (risos)

domingo, 27 de março de 2011

Aula de natação com bóia

Na terça-feira (22/03) o Artur fez a sua primeira aula de natação com auxílio da bóia de braço. Eu podia jurar que seria uma aula como outra qualquer. Mas, não foi. 
Já era para eu ter levado a tal da bóia para a aula na semana passada, só que esqueci. Comprei a bóia quando fomos pra praia pela primeira vez, ele tinha 8 meses e nem usou. Então, voltamos da praia e guardei, e nem lembrava onde estava. Na terça, após o almoço fui atrás da bóia para já guardá-la na bolsa. 
Quando o Artur viu, pediu pra encher e colocar no braço. Atendi prontamente aos seus pedidos. A agitação era tanta, que eu não entendi. O sono da tarde teve a participação especial da bóia. Se eu ameaçava tirar, ele fazia escândalo. Esperei ele dormir e guardei na bolsa da natação. 
A rotina foi mais ou menos igual... Fizemos o aquecimento, coloquei a sunga e a touca (outra paixão do Artur) e ele ficou pedindo a bóia... mas no início da aula ele não pode usar e deixei do lado de fora. 
No momento que coloquei a bóia, o sorriso dele era tão grande que eu sorri junto. E, como ele estava com a bóia, os meus braços que sempre o seguram não tinham razão de permanecer ali e o soltei. O sorriso do Artur transbordou, ele gargalhava sozinho. Ele estava radiante de felicidade. Tanto que, na euforia, bebeu MUITA água da piscina. Ele dava gritinhos, gargalhava, colocava o rosto na água. Infelizmente ninguém filmou... E nem registrou com fotos... Como senti falta do registro do momento, no dia seguinte antes de ir pra aula, coloquei a sunga, a touca e a bóia e tirei algumas fotos dele.
Não tenho palavras para descrever o que senti naquele momento. Mas foi, de longe, a melhor experiência que tive com ele na natação até agora. Sim, conseguiu ultrapassar o primeiro mergulho. Fiquei hipnotizada, emocionada e muito feliz por vê-lo daquele jeito. Essa vida de mãe me surpreende todos os dias! Nunca imaginei sentir nada disso... Ele é sim o responsável pelos meus sorrisos!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Primeira vez que o Artur tirou sangue

No último post comentei que fui ao pediatra com o Artur e que no dia seguinte teria que levá-lo para fazer os exames para ver se existe alguma coisa atrapalhando o crescimento dele. Como ele vai pra escolinha pela manhã, decidi que o levaria no sábado e me programei pra isso. Na sexta passei no laboratório e descobri que ele não precisaria ficar em jejum. Ufa! 
No sábado acordamos cedo, estavamos prontos pra ir, mas me enrolei de todas as formas e não o levei. Confesso que enrolei MESMO e não fui de propósito. Não dei conta! Mas me comprometi a levá-lo no próximo sábado, que seria amanhã. Só que ontem o pai do Artur me ligou e pediu para buscá-lo hoje depois da escola. O Artur conversou com o pai no telefone e combinou que iria amanhã. (Sim, já está desse jeito! E isso me assusta um pouco... rsrs Não tenho mais um bebê, ele já sabe que não depende de mim e que ele é o Artur. - depois escrevo sobre isso. rs). 
Então, hoje era o dia e não tinha mais como fugir. Apesar de acordar cedo, me enrolei inteira (impressionante!). E ele estava numa euforia louca, acordou ligado no 220v e não parava de correr pela casa. Precisei da ajuda da minha mãe e da menina que trabalha com a gente para conseguir arrumá-lo pra escola. Minha mãe percebeu a minha enrolação, tremedeira, nervosismo, agonia e resolveu ir comigo. Ainda bem! Se ela não tivesse entrado no carro comigo, tenho quase certeza que passaria reto pelo laboratório, como quem tivesse esquecido. 
No laboratório tinha um homem tocando violão e o Artur, como bom amante da música e do violão, ficou hipnotizado até ser chamado. Bom... hipnotizado não significa que ele ficou quietinho. Ele falou com algumas pessoas que aguardavam, saiu entrando nos locais proibidos e quebrou um suporte de revista quando tentou escalar. Eu estava muito nervosa e tremia e ele estava sem entender nada, me olhava com aquele olhar curioso e apreensivo. A mulher que nos atendeu pareceu muito insegura (o que me deixou mais nervosa) e enrolou demais para tirar o sangue. E, ele só chorou porque ela furou errado e acabou machucando. Mas chorou pouco, ainda bem! No final ganhei esse sorrisão que vocês podem ver na foto. E, apesar da cara alegre que ele fez olhando o band-aid, assim que chegou no carro pediu pra arrancar. Mas, chegando na escola quis colocar de novo pra mostrar para os amiguinhos. 
O Artur não é uma criança que chora, e raramente faz escândalos. Já é um rapaz! 
A mamãe permaneceu tremendo ao longo da manhã... E está sem entender o porque disso tudo! Quando ele fez o teste do pezinho eu estava sozinha e ele tinha apenas 5 dias, e eu não senti isso. A maioria das vacinas eu o levei no posto de saúde ou no laboratório sozinha e não fiquei nervosa. Me sentia mal de ter que segurá-lo com muita força... 
Agora... só a saudade que está me consumindo, como SEMPRE!  


sexta-feira, 18 de março de 2011

O bebê está crescendo e aparecendo!

Prestes a completar 1 ano e 11 meses (21/03), o Artur demonstra muita independência em qualquer ambiente e circunstância. 
No carnaval, fomos na Baratinha e ele se divertiu e brincou com todos que estavam por lá. Ah, só ficou com medo do palhaço na perna de pau que se apresentou junto com o Pé de Cerrado. Mas não chorou, apenas quis ficar no colo. 
Na escola, vai pra turma do Infantil II (criança de 2 a 3 anos). Hoje assinei o documento pra autorizar a mudança e conversei com a coordenadora da escola. Ela falou que na segunda ele já começa a adaptação na nova turma (que vai durar no máximo uma semana). Mas que ela tem certeza que ele irá se adaptar muito bem, que ele é muito independente e responde muito bem aos estímulos. O único motivo dele não ter ido para essa turma no início de fevereiro foi a nova Resolução. Mas, também me lembrou que quando ele estiver com 5 anos terá que passar pela avaliação psicopedagógica. 
E na natação o Artur vai para o Bebê II. No próximo mês não precisarei mais entrar na piscina e fazer aula junto com ele. A turminha tem até 6 alunos e uma professora, com apoio de plataformas e brinquedos, os pequenos peixinhos se deslocam, mergulham, aprendem a dar as primeiras braçadas. (E a mamãe vai poder malhar nesse horário!
Na quarta-feira fomos na pediatra, eu estou preocupada com o crescimento dele (está na linha amarela no gráfico). Mas nesse último mês ele cresceu 2cm e engordou 1,5kg, o que não o tirou do amarelo, mas já é MUITO positivo. Faremos amanhã os exames pra saber se por acaso ele tem alguma coisa que possa estar atrapalhando no crescimento (conto aqui depois). Passamos mais de 1h na sala de espera da pediatra, o que foi super estressante. Imagina uma criança de 1 ano e 10 meses parada por 1 hora? Tentei de tudo pra segurá-lo ali e ele se comportou muito bem. Como o consultório é no Terraço Shopping, decidi premiá-lo e o levei na brinquedoteca. Piscina de bolinha? Que nada! Artur fez amizade com a Lalá (uma menina linda, de 5 ou 6 anos) e brincaram juntos, subindo e descendo o escorregador de todas as formas possíveis e percorrendo a brinquedoteca e seus obstáculos na mão e contramão. Inclusive, disputando corrida! 
Falando de independência... 
Artur já tira o short, o sapato e a meia sozinho e dá um tapinha no peito e levanta as mãos pedindo ajuda pra tirar a camisa. 
Avisa quando vai fazer xixi, e até já fica muito tempo sem fralda e procura uma plantinha ou vai até o banheiro pra fazer xixi SOZINHO! 
Conta histórias que viveu, inventa histórias com os brinquedos e bonecos, canta as músicas do Barney e da Xuxa (dança em algumas). 
É extremamente carinhoso! Abraça e beija todo mundo. Massssssssss... reage no primeiro momento com estranhos e demonstra agressividade em alguns momentos (bate, empurra, grita), principalmente quando contrariado. 

quarta-feira, 16 de março de 2011

Difícil decisão

Eu já sabia que ser mãe não seria fácil. Mas nunca imaginei a quantidade de desafios que apareceriam pela frente.
No início desse ano fui informada pela escola do Artur que havia uma nova Resolução do Ministério da Educação que a criança deve ter idade de 6 anos completos até o dia 31 de março para ingressar no primeiro ano do Ensino Fundamental. Até o ano passado, a criança deveria ter a idade até o dia 30 de junho.  
Resolução n° 6, de 20 de Outubro de 2010:
Art. 3º Para o ingresso no primeiro ano do Ensino Fundamental, a criança deverá ter
idade de 6 (seis) anos completos até o dia 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula.
Art. 4º As crianças que completarem 6 (seis) anos de idade após a data definida no
artigo 3º deverão ser matriculadas na Pré-Escola.
O Artur completa 2 anos no dia 21 de Abril. E, por isso, ele teve que ser matriculado no Infantil I (mesma turma que frequentou no ano passado). Na reunião que a escola marcou para explicar sobre a nova Resolução para os pais dos alunos do Infantil IV e V, fui a única mãe de aluno do Infantil I presente. Lá, fui convencida que o Artur permaneceria na turma, deixando-o dentro das novas regras desde agora. Melhor do que mais tarde ter que regredí-lo. Existe a possibilidade da criança na mesma situação dele (que completa a idade depois de 31 de março) ir para o Infantil II (caso dele), para isso preciso assinar um documento assumindo a responsabilidade. E, quando ele for para o Ensino Fundamental terá que fazer um teste psicológico e pedagógico para garantir que ele tem maturidade (principalmente) e conhecimento suficiente para acompanhar a turma. 
As aulas começaram no dia 1° de fevereiro e eu estava muito tranquila e certa de que estava fazendo o melhor pro Artur. Mas, na nova turma, ele é o mais velho, a maioria das crianças vieram da creche (recém completaram 1 ano). Segundo a professora ele é o monitor, o ajudante, e além das atividades propostas para os outros, ele tem atividades extras. O fato é que me questionava todos os dias o que é melhor: permanecer nessa turma e estar de acordo com o Ministério da Educação, ou arriscar a adaptação dele na outra turma, assinar a responsabilidade e ir contra o Ministério da Educação. 
Ontem eu consegui tomar a decisão! Teve uma reunião de pais só da turminha do Artur com a professora. Tudo que vi e ouvi os outros pais conversando e contando era tão diferente da realidade do meu filho. Outra etapa, outro momento. Ao final da reunião, pedi para a professora para fazermos uma reunião com a coordenadora e mudarmos o Artur de turma. Ela ficou de conversar com a coordenadora essa semana e me posicionar. Pedi pra fazermos um teste de uma semana para ver como o Artur se comportaria do Infantil II. 
Não sei quais consequências poderia ter ele ficar no Infantil I, limitado a atividades de crianças de 1 ano e fazendo atividades extras sozinho. E ainda não sei as consequências de deixá-lo realizar as atividades com crianças de 2 anos, que irão exigir maior responsabilidade e maturidade. 
Escolhi confiar no que eu acredito que é o certo! Espero estar certa... 

sábado, 12 de março de 2011

Único


Porque ele me faz ver o mundo com outros olhos.
Porque ele me faz acreditar que tudo é possível.
Porque por ele eu sou capaz de absolutamente tudo.
Porque com ele todos os meus dias são ensolarados.
Porque com ele meu sorriso é instantâneo.
Porque ele me permitiu renascer.
Porque ele me ensina o que é o amor.
Artur, AMO VOCÊ!

quarta-feira, 9 de março de 2011

O filho que eu quero ter

"É comum a gente sonhar, eu sei, quando vem o entardecer

Pois eu também dei de sonhar um sonho lindo de morrer

Vejo um berço e nele eu me debruçar com o pranto a me correr
E assim chorando acalentar o filho que eu quero ter
Dorme, meu pequenininho, dorme que a noite já vem
Teu pai está muito sozinho de tanto amor que ele tem

De repente eu vejo se transformar num menino igual à mim
Que vem correndo me beijar quando eu chegar lá de onde eu vim
Um menino sempre a me perguntar um porque que não tem fim
Um filho a quem só queira bem e a quem só diga que sim
Dorme menino levado, dorme que a vida já vem
Teu pai está muito cansado de tanta dor que ele tem

Quando a vida enfim me quiser levar pelo tanto que me deu
Sentir-lhe a barba me roçar no derradeiro beijo seu
E ao sentir também sua mão vedar meu olhar dos olhos seus
Ouvir-lhe a voz a me embalar num acalanto de adeus
Dorme meu pai sem cuidado, dorme que ao entardecer
Teu filho sonha acordado, com o filho que ele quer ter".

Toquinho e Vinícius

sábado, 5 de março de 2011