sábado, 31 de dezembro de 2011

Ano feliz!

E o ano acabou com um dia maravilhoso na piscina. Com muito sol, bagunça, brincadeiras, sorrisos, diversão. As horas passaram que a gente nem viu... 
Coisa boa é poder estar com a família, com quem amamos! 
Agora o Artur passa essa noite com o pai... e mais uns dias de férias. 
Aproveitamos cada momento juntos! O mais importante é isso.

Carmen, Artur e eu


domingo, 30 de outubro de 2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O independente...

Artur completou 2 anos e 5 meses hoje, e para o meu desespero, jura que é independente...
Fui deixá-lo na escola, ele pegou a mochila e me deu tchau, disse que iria sozinho. E seguiu sozinho... Fiquei de longe olhando e ele mandava eu ir embora, que não precisava!... 
Eu aguento?? rsrs

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Tchau "pepeta"!

Eu queria que o Artur largasse a chupeta e já vinha conversando com ele sobre isso, mas nada era capaz de convencê-lo.

Ofereci estrela, presente. Tentava convencê-lo que ele já era grandinho e só quem usava chupeta era bebê. Escondia a chupeta. Ensaiava com ele um adeus à amiga de borracha. Falava dos males que a chupeta estava fazendo para os dentes. Citava a sujeira, o cheiro ruim, ... Enfim, nada resolvia.

E, quando eu já tinha esquecido do combate, ele apareceu com ferida nos cantinhos da boca. Para minha surpresa o Artur falou que tinha sido a chupeta. Mas, como ele tinha duas, culpou apenas uma. Aproveitei o momento e enfatizei que a culpa do dodói era da chupeta e que para ficar bom ele não poderia usá-la mais. Caso usasse, o dodói não iria sarar ou voltaria. 

Na primeira noite, ele dormiu chorando e eu me segurei para não chorar junto. Não sei descrever o que senti, mas doeu demais. Isso aconteceu no dia 9 de Agosto, há 20 dias. Na primeira semana ele ainda chorou pra dormir e acordou de madrugada sentindo falta. Hoje já até esqueceu. 

Depois que ele deu tchau pra chupeta, eu reparei que se ele não abandonou ela antes, a culpa, em parte, é minha também. Para mim, era muito cômodo utilizar daquele artigo que acalmava, calava, acalentava,... E, como não é fácil esse momento de transição, eu por preguiça, falta de tempo, acomodação ia adiando esse momento. 

Uma situação curiosa desse momento é que estávamos sozinhos nesse período, já que minha mãe estava viajando e meu irmão estava chegando tarde da aula. 

Quando minha mãe voltou de viagem e eu pedi pro Artur contar a novidade, ela se empolgou e falou que compraria um presente pra ele já que ele tinha jogado fora a chupeta. E ele respondeu: "Dois! Dois pepetinha, dois pesente!".

Mas, ele tinha ganhado uma lembrancinha da vovó que voltou de viagem e esse ficou sendo o presente. 

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

"Sou neto de peixe!"

Hoje o Artur falou pro vovô "Sou neto de peixe!" e encheu o vovô de orgulho e, também encheu os olhos de lágrimas.

Vídeo feito pela Tia Nana e Tio Titi no último domingo...  
Perguntei pra ele quem ensinou... "Meu titio!"


segunda-feira, 18 de julho de 2011

Se tem um nome... é saudade!

Carinha mais inocente
O assunto de hoje era outro... Mas é impossível deixar de postar aqui o que senti hoje. Dizem que amor de mãe é inexplicável... e é! Artur foi passar 15 dias de férias com o pai na última segunda-feira, 11 de julho. Meu coração ficou apertado, mas até já consigo lidar melhor com esses momentos de distância. Aproveito pra fazer coisas que não posso fazer quando estou com ele... E penso SEMPRE que pode doer o quanto for, mas é o melhor pra ele. Ele precisa conviver com o pai, além dos finais de semana quinzenais. Mas, desde que ele foi eu não liguei. E ontem passei o dia pensando nisso... E fui dormir decidida a ligar hoje. 
Acabo de falar com ele e já lembrei porque eu prefiro não ligar. Eu sempre choro e a saudade aumenta mais e mais. Se eu não ligar, ele pode achar que esqueci dele, ficar triste. Se eu ligo, ele quer me ver, pede pra eu buscá-lo e eu fico com o coração na mão e morreeeeendo de saudade. E agora? O que é melhor, ou menos pior? Sinceramente, apesar do sofrimento, acho que o melhor mesmo é ligar e aprender a lidar com essas conversas loucas que acabam comigo. 

Artur: Mamãe!!! Busca eu!
Mãe: Meu amor!!! Estou com saudades!
Artur: Busca o Tutu!!
Mãe: Filho, você está passando férias com o papai...
Artur: Não mamãe! Pega o Tutu aqui, pega!
Mãe: Meu amor, mamãe está morrendo de saudade de você! Mas, vai brincar com seu pai, seus avós... Cadê seus passarinhos?
Artur: Táqui! O azul tá vendo, e o oto também! 
Mãe: Então Tutu, vai brincar! Mamãe te ama!
Artur: Busca o Tutu agora!
Mãe: Filho, eu vou desligar... Te amo muito! Um beijo
Artur: Cade vovó? Cade a bisa? Cade o tio Tiado? ... (querendo me enrolar... Falou com todo mundo!)
Mãe: Então, vou desligar. Beijo!
Artur: Mamãe... pega eu aqui!
Mãe: Não posso...
Artur: Porqueeeeeeeeeee?
Mãe: Você está com seu pai... na próxima segunda a gente se vê e mata a saudade, tá?!
Artur: Pega eu mamãe! Quero você!!!
Mãe: Filho... não posso... aproveita aí com seu pai! Te amo! Beijo
Artur: Mamãe?! Te amo grandão que nem o lago
Mãe: Te amo muito, muito, muito! 

Não é NADA fácil... Coração fica apertado... dá vontade de sair correndo e buscar logo. Os 10 minutos de conversa mais loooongos... Estava pensando em ir vê-lo na natação amanhã, já desisti. No telefone ainda consigo desligar, e tentar me segurar. Pessoalmente? Vou carregar comigo, certeza! (risos)
Saudade... "Saudade é melhor que caminhar vazio..." Peninha
Morro de orgulho do meu filho! A vó dele ainda veio conversar comigo nesse meio tempo... deve ter ficado agoniada com  ele falando. Nesse meio tempo ele ainda disse que estava sozinho lá... É impressionante como ele é articulador, inteligente e cheio de tiradas. 
Bom, estou contando os dias pra chegar dia 25 e eu apertaaaaaaaaaaaar e beijar muuuuuuito meu pequeno!

terça-feira, 12 de julho de 2011

Depois de mais de 2 anos, fotos da gravidez...

Com o Google+ eu redescobri algumas fotos que eu tinha perdido em formatação de computador e já tinha até esquecido que tinha salvado no Picasa. Não fui daquelas grávidas que curtiram a gravidez, tiram várias fotos... Revi as fotos e pela primeira vez senti saudades e tive todos aqueles sentimentos gostosos que me falavam e eu não fazia ideia do que era. 
No dia do aniversário da minha vó, 22 de agosto fiz o exame de farmácia (positivo!) e corri para o laboratório que às 15h30 me deu o resultado também positivo. E agora?! Quando recebi o resultado passou um filme na minha cabeça... Pensei em todos os meus planos: viagem internacional, cursos, trabalhos, e sim, casar e ter filhos. Todos eles acabavam de ser modificados. Poderiam até acontecer, mas agora em outro formato, bem diferente do que eu havia pensado. No mesmo dia, comuniquei os principais envolvidos: o pai, minha mãe, meu pai, meu irmão e uma amiga. 

Eu tinha tomado a vacina contra a Rubéola e as coisas que li na internet não podiam transmitir outro sentimento que não fosse desespero. A única coisa que eu não li é que correria tudo bem com a gravidez e com o bebê. Com isso, fui em mais de 4 ginecologistas. Fiz diversas ecografias. E tive a notícia de que o bebê estava bem e eu não precisava me preocupar. Ele era apenas um pontinho preto e um coração que batia tão alto e tão rápido, que acelerou mais ainda o meu coração e eu já amava tanto, que nem conseguia explicar.

Ao longo da gravidez, achei que estar com o pai do meu filho seria o certo. Mas, realmente a relação já havia acabado e o melhor foi ficar cada um do seu lado. Achei que era melhor contar sobre a gravidez apenas após o 3° mês. Com isso, me afastei dos meus amigos e até da minha família, me isolei e ninguém sabia o que estava acontecendo. Não tive enjôo, nem desejo, mas tive muito sono. Mesmo que não regularmente, fiz exercício físico durante toda a gravidez. E, mesmo assim, enfrentei complicação com muito inchaço e com minha pressão, que ficou alta no final da gravidez (fato que não me possibilitou ter um parto normal).

Bom, se eu pudesse voltar atrás, faria diferente! 
Hoje, depois de quase 3 anos que engravidei, pela primeira vez tive vontade de compartilhar essas fotos... 

Início da gravidez
3 meses


4 meses

5 meses
6 meses

7 meses
Chá de bebê
8 meses


O primeiro olhar





A CERTEZA de que valeu a pena!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Tutu fala!

Sabe, o tempo passa muito rápido! Se eu pudesse voltar atrás, certamente providenciaria um caderninho e caneta para deixar sempre a mão. Sem isso perdi muitas frases e palavras inventadas ou descobertas. 
Quero aproveitar e registrar aqui que o Artur tem conversado demais e cada dia mais e mais. Hoje ouvi um comentário: "Ele conversa o tempo todo e sobre tudo, mesmo que às vezes só ele entenda...". E é bem por aí! E a mamãe aqui se derrete MESMO ao ouvir ele cantando diversas músicas. 
Bom, ele não consegue falar o R (mas não troca pelo L rsrs). O V ele pronuncia B. O C ele pronuncia T. O G ele confunde e troca com o D. Muitas vezes gostaria de não corrigir, porque é muito lindinho ouvir ele falando. Mas, como mãe é meu dever ensiná-lo a falar certinho. Só não resolve muito, ele me escuta corrigindo, presta atenção e continua falando do jeito dele.

Algumas palavras:
bobô, bobó = vovô e vovó
Enata = Renata
Tiado = Tiago
Banei = Barney
dalho = galho
melo = cabelo
iu = caiu
late = chocolate
bola = rebola
obigado = obrigado
abi = abre
toba = cobra
biaeiro = brigadeiro
aua = água
Atu = Artur (ele prefere Tutu, mais fácil rs)


P.S.: Sei que deixei passar várias ótimas... Mas, faltou meu caderninho... rs

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Momento corujice

Hoje fui colocar o Artur na cadeirinha do carro para levá-lo para a escola e ele olhou pra mim todo pensativo, abriu um sorrisão e disse: "Mamãe, obrigado, obrigado, obrigado!". Eu fiquei sem entender nada. A nossa rotina é sempre a mesma e normalmente ele briga e chora porque quer ir dirigindo, quer meu colo, não quer ficar preso. Então perguntei: "Obrigado? O que eu fiz?". Ele deu uma gargalhada gostosa e disse "Obrigado porque é você mamãe!". Preciso dizer que estou sorrindo até agora e meus olhos encheram de lágrimas?! 

Meu filho, meu orgulho!!!




quarta-feira, 15 de junho de 2011

Quem é o cantor?!

Será que vai ser cantor, músico???!!! Não sei! Mas o Artur AMA música, instrumentos musicais, dança. Atualmente vive fazendo seus pocket shows, mas são raras as oportunidades que ele deixa ser filmado. Apaixonado pelo violão e pela guitarra (que ele também chama de violão). E está encantado com a capoeira... Duas atividades que só encontro para crianças a partir de 3 anos. Alguém sabe de algum lugar que tenha para crianças de 2 anos?!

O vídeo é bem curto! Preciso ensiná-lo a cantar música boa! hehehe Essa música o papagaio (a Lola) que tem na casa do pai dele canta toda vez que ele chega lá. 

terça-feira, 31 de maio de 2011

Brincou com fogo e se queimou

O Artur é daquelas crianças que não param um minuto. Um piscar de olhos é tempo suficiente para ele sumir ou aprontar alguma coisa. E, eu sempre deixei ele muito solto. Mas procuro explicar tudo.
Já tem uns meses que o fogão estava sendo uma ameaça constante. E expliquei diversas vezes que era muito quente, que ele não pode brincar por ali, que ia queimar e machucar. Não teve jeito!
Ele estava com minha mãe na cozinha de manhã e ela foi esquentar água para fazer o café. Em segundos ele colocou o dedo no fogo, e pela ferida que ficou, acredito que encostou no ferro quente. 


"A vantagem de brincar com fogo é que se aprende a não se queimar." 
Oscar Wilde

Será que ele aprendeu que não pode brincar com fogo? Ou pelo menos aprendeu a não se queimar da próxima vez? 
A bolha já estourou e agora está começando a cicatrizar... 
Espero que ele tenha aprendido!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Artur e o show do Zé Ramalho

Aqui em Brasília tem um açougue cultural que realiza grandes shows duas vezes por ano no meio da rua, na entrequadra (lugar bem atípico), na frente do açougue. Ontem foi o show do Zé Ramalho. Sabe aquele programa que reúne todos os públicos? Eu já fui em vários shows lá e sempre vi muita família, crianças, bebês, idosos. Resolvi que iria e levaria o Artur comigo.
Chegamos e o show já tinha começado. Atravessar a multidão não foi tarefa das mais fáceis. Fiquei impressionada com a "simpatia" das pessoas. Normalmente esperamos que as pessoas vão te ver com uma criança no colo e te darão passagem, mas eu pedia licença, era educada e ainda precisava protegê-lo de alguns cotovelos. Passado o tumulto, conseguimos um local atrás e na lateral do palco, num prédio da comercial. Deixei o Artur no chão, mas no início ele ainda estava assustado e reagiu um pouco. Depois se soltou, dançava, pulava, corria, e se entregou ao som do Zé Ramalho. 
Não conseguimos ver o show e o som não estava muito bom onde estávamos, mas consegui ouvir e curtir as músicas. Eu me diverti e o Artur também. 
Quando o show acabou, ele já estava tão entregue ao ritmo e tão acostumado com o ambiente que saiu correndo para o meio da multidão. Uma brincadeira de criança que não tinha a menor noção do que estava fazendo, claro. Eu não vi ninguém na minha frente e passei por cima de umas 8 pessoas (talvez) e consegui alcançá-lo. Na volta, pedi desculpas para todos, claro! Conversei e expliquei para o Artur que ele não poderia sair correndo assim, porque ele com certeza se perderia. Ele ainda brincou e tentou sair correndo outras vezes, mas eu não deixava ele dar nem três passos. Meu coração ficou na boca!
Alguns minutos depois fomos embora, ele no meu colo novamente. A multidão já estava dispersa e foi mais tranquilo. Quando o Artur percebeu que estavamos nos afastando do movimento não gostou. Um músico percussionista do Maranhão tinha começado a tocar. O Artur falou que não queria ir embora. Falei que o show já tinha acabado e estava tarde, tinhamos que ir embora. Ele me olhou bem sério e falou que não tinha acabado não, "olha a múquisa*!". Queria ficar mais... 
Mas, foi só entrar no carro e em menos de cinco minutos ele estava dormindo pesado.
Hoje de manhã quando fui acordá-lo pra aula, ele já acordou cantando, dançando e balançando as mãozinhas. 
Levei e levarei novamente numa próxima oportunidade! 


*música



terça-feira, 24 de maio de 2011

Faço tudo por ele





"Não eduque seu filho para ser rico,
eduque-o para ser feliz.
Assim ele saberá o VALOR das coisas
e não o seu PREÇO" 

Max Gehringer








É impressionante como um filho muda a nossa vida e nos torna capazes de fazer coisas e tomar atitudes que jamais imaginamos! Eu já percebi isso diversas vezes... Mas esse ano, especialmente, me superei!

No meu orçamento não estava cabendo os custos do Artur, criar uma criança é muito mais caro do que eu já havia imaginado. A escola é o que fica mais caro. Eu precisava colocá-lo no integral e no fim não conseguiria pagar nem o meio período. Chamei o pai dele pra conversar no final do ano e ver como ele poderia me ajudar. A resposta foi bem diferente do que eu gostaria de ouvir, mas nada diferente do que eu já imaginava. Ele falou que não tinha dinheiro e não podia fazer nada. O que significa que eu teria que me virar com a pensão que dá pra pagar 50% do meio período na escola e dar um jeito de ganhar dinheiro extra.
No início de janeiro, marquei uma reunião na escola com o diretor financeiro, que foi marcada para o final do mês. Ensaiei diversas vezes o que eu falaria com ele, passei noites sem dormir, tentei não ir. Era um misto de vergonha, nervosismo e medo. No dia da reunião, cheguei na hora com as mãos molhadas de suor, o coração à mil e a boca seca. Mas pensei no Artur e no tanto que eu precisava do desconto pra ele e fui falar com o diretor financeiro da escola. Logo de cara ele me falou que gostaria muito de poder me ajudar, que a escola tinha alguns planos de desconto, mas que acreditava que eu não me enquadrava em nenhum. Eu estava quase indo embora, mas voltei e pedi para que ele me falasse direitinho de todos os requisitos de todos os planos de desconto para que eu tivesse certeza que realmente não me enquadrava em nenhum. No último plano, no último requisito, eu consegui uma brecha e falei que tinha como provar e entrar naquele desconto. Resultado: Consegui 30% de desconto!
Mas, mesmo com esse desconto, eu ainda precisava de mais ajuda. E pedi ajuda pro meu pai, que falou que me ajudaria até o meio do ano. Me deu 6 meses pra eu conseguir me virar (e agora que estou escrevendo isso, lembrei que o meu prazo está acabando!). Nada mais justo, né? 
Eu detesto pedir qualquer coisa, pra quem quer que seja. E, sinceramente, não sei receber presente, aceitar ajuda, enfim. Mas, no momento não tinha outro jeito. A solução era encarar os fatos e pedir ajuda para todos e aceitar tudo que eu conseguisse. 
E, por ele eu sou capaz de fazer qualquer coisa! O meu objetivo é dar o melhor para o meu filho e farei de tudo para conseguir isso. Principalmente para a educação e a saúde dele, jamais medirei esforços! E nada e nem ninguém poderá ser um obstáculo para mim. 
A maternidade tem essa de ser intrigante, impressionante, intraduzível... Impossível dar fórmulas prontas. A única coisa possível é relatar experiências e sentimentos. O Artur mudou a minha vida, eu mudei. E, certa ou errada, estou tentando fazer o melhor. 

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Festa de aniversário Barney - 2 anos

Todos que me conhecem sabem da minha paixão por festas. E, principalmente, paixão por fazer festas. Com o aniversário do Artur não poderia ser diferente. Inclusive, tem até uma animação a mais. 

Mas, esse ano eu não estava muito animada. Resolvi fazer meio que de última hora e busquei formas de economizar. Não consegui gastar pouco, mas já gastei menos que no ano passado e adquiri mais experiência para a próxima festinha ser mais barata. 

Resolvi convidar o pai do Artur pra fazer a festa junto comigo. Decisão difícil! Mas, pensei no Artur e o que seria melhor pra ele. Então, o pai dele assumiu os custos do aluguel das mesas, dos brinquedos e da decoração com balões. E convidou a família e amigos dele. Eu assumi os custos do convite, garçons, bolo, decoração da mesa do bolo, salgadinhos, docinhos, bebidas, lembrancinhas, centros de mesa e fotógrafo. E convidei minha família e os amigos mais próximos (acabei deixando de convidar muuuuita gente porque estipulamos um número máximo de convidados e tive que cortar a minha "humilde" listinha diversas vezes, dando prioridade pros amigos mais próximos, os que tem filhos, os que convivem no dia a dia com o Artur). Pense numa pessoa que sofreu pra fazer a lista de convidados e pensou em desistir de fazer a festa diversas vezes por conta disso... 

O tema estava decidido: Barney! O dinossauro roxo que é a grande paixão do Artur atualmente... Pela cidade, são poucas opções de decoração com esse tema e encontrar coisas nas cores roxo e verde também não foi fácil. O jeito foi inventar e misturar! 

 Aluguei a maquete do bolo na Doce Talento.
O bolo era branco com recheio de brigadeiro branco e brigadeiro preto.
E os docinhos com a carinha do Barney também são de lá.
 Esses balões eram de gás helio que a Tia Nana deu pro Artur e 
o meu irmão improvisou um peso e ficou lindo decorando a piscina. 
 Esse foi o centro de mesa que fiz. Peguei uma imagem do Barney no google, imprimi e tirei cópias, colei num papel cartão verde e recortei. Cortei tiras de uma cartolina colorida e fiz um copinho. Dentro um papel celofane roxo com balas e chocolate. Um pirulito grande. E também fiz os cataventos. Tentei fazer pipas, mas não consegui, dava muito mais trabalho do que eu imaginava e levava muito tempo.  
Os enfeites de mesa e o painel são da Parabéns, veio muuuuuita coisa e não coube na minha mesa, tive que colocar duas mesas de apoio ao lado.
 A decoração com balões o pai do Artur que contratou e 
acabei não pegando contato, mas eles trabalham muito bem e rápido. 
Nas mesas coloquei toalhas de mesa de pano mesmo roxa. 

Além dos salgadinhos, teve pipoca, cachorro quente, din din, gelatina, brigadeiro, beijinho e mesa de guloseimas com confete, jujuba, delicados, bala, pirulito e chocolate.
No final, deu tudo certo! O Artur ficou MUITO feliz, brincou o tempo inteiro. Foi dormir 00h30 e acordou no outro dia às 10h30 abrindo todos os presentes e ficou no ritmo acelerado ainda por uma semana. 

Mas, sozinha eu não conseguiria... Agradeço MUITO a todos que me ajudaram: Tia Nana, Tia Didi, Tia Caca, Vovó, Vovô, Tio Titi.

domingo, 8 de maio de 2011

Meu segundo Dia das mães


Ser mãe é uma experiência incrível! Impossível descrever os sentimentos, tão diversos e tão intensos...
Ser mãe mudou a minha vida, minha forma de pensar, minha forma de agir... Mudou todos os meus planos, objetivos, metas. Deu força aos meus valores!

Fiz uma pequena e improvisada montagem com fotos minha com o Artur desde que ele nasceu... revendo essas fotos pude ver o tanto que eu mudei nesses dois anos... 

Ganhei o presente mais lindo: um cartãozinho com coração, desenhos do Artur e escrito mamãe linda. E pra completar, ele me deu um abraço beeeeem forte e falou: "Mamãe amo você muito muito muito e muito!" 
Tenho certeza que sou a mãe mais feliz do mundo! 
É muito amor envolvido... Só quem é mãe e vive ou já viveu esses momentos pode entender... 

FELIZ DIA DAS MÃES!!!
Em especial pra minha mãe e minhas avós...

quinta-feira, 21 de abril de 2011

2 anos

Hoje o Artur completa 2 anos! 
Então, posso dizer que há dois anos eu aprendi e aprendo muito com ele. Aprendi o que é o amor, aprendi a ter paciência, aprendi a agradecer, aprendi o valor do sorriso e do abraço, aprendi que a felicidade está ao lado o tempo todo basta apenas querermos vivê-la.
O Artur é iluminado e ilumina todos os lugares por onde passa. É uma estrela, um anjo! Eu nunca havia visto uma criança igual. Não existe um lugar por onde ele passe ou uma pessoa com quem cruze o caminho que não se transforme. 
E eu me sinto privilegiada por poder ser mãe desse menino maravilhoso, cheio de vida, brilho e sorrisos. Agradeço à Deus todos os dias por ter me dado esse presente: ser mãe do Artur

Hoje fiquei muito emocionada com duas declarações para o Artur no facebook e vou compartilhar aqui.

Dia 21 de abril, data de muitas comemorações, que em 2009 foi acrescentada mais uma, do nascimento do rei Artur, e a minha mais alta condecoração a de avô. Hoje festejar e cantar o 2º aninho, é motivo de muita alegria e de elevar meus pensamentos em gratidão. Dizer que o amo, é muito pouco.
 Wilson Brasil (avô)

Quando Artur nasceu, há dois anos atrás, minha prima me disse que o grande objetivo dele nesse mundo em que chegava era o de fazer acontecer a união... Artur, pra mim, é a criança cristal em seu modelo mais criativo, pronto para abraçar o mundo que o rodeia, com tudo o que se tem direito e com um pouco mais - com força, determinação e atitude. Artur não é um "pinga-fogo" apenas, ele é um explorador destemido e faz as coisas acontecerem sem que ninguém perceba. Tuco me faz pensar que todas as possibilidades podem ser vividas e apreciadas em seu mais alto grau de simplicidade – como quem canta e dança uma música pelo mero prazer, sem se importar com nada além do momento. Talvez essa seja sua lição para o mundo: nos re-unir com essa vontade primária (que normalmente nos desatamos) de experimentar, sem medo, o que temos de mais precioso – a vida! Uma coisa eu tenho certeza, se hoje não fosse feriado por vários outros motivos, esse aí decretaria um em seu nome. Parabéns pelo seu dia, Tuco! E que sua vida seja tão abençoada quanto a forma que você nos abençoa a cada dia. E parabéns, Re, por ter colocado essa figurinha em nossa vida. 
Tia Cacá ama vocês!! 

sábado, 16 de abril de 2011

Aniversário 2 anos da Ninna

Hoje o Artur foi pra festinha de aniversário de dois anos da Ninna. Ela é filha da Ju que é minha amiga e filha de um grande amigo do meu pai. Nós engravidamos juntas. A Ninna é mais velha que o Artur três dias. Eles não se encontram com muita frequência. Mas sempre estão presentes nos aniversários, pelo menos. E o carinho e cuidado entre eles é lindo de ver. Muito amor por esses pequenos! Desejo que essa amizade deles permaneça. 




Artur mudou de turma na natação


Hoje o Artur mudou de turma na natação. Última aula que preciso entrar com ele na piscina. Agora ele já é um peixinho independente, com seus coleguinhas e professora. Muito amor!!!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Mudanças e adaptações

A vida é uma constante mudança. E, nós precisamos aprender a lidar com essas mudanças e adaptações. 
O Artur sempre lidou muito bem com mudanças e nunca teve problema nas adaptações. Os momentos sozinho com o pai começaram quando ele tinha 4 meses e ainda mamava, eram 2 horas, três dias na semana. Aos 6 meses, mudou para 4 horas dois dias na semana. Com 8 meses, dormiu pela primeira vez na casa do pai e também entrou na creche. Na mudança da creche para o Infantil I (com 1 ano), a escola fez a adaptação internamente e foi tudo tranquilo. 
E, agora, com 1 ano e 11 meses, mudou do Infantil I para o Infantil II, a escola fez a adaptação internamente e correu tudo bem. Nenhuma reação, nada! (Na adaptação ele passa alguns momentos no Infantil I e outros momentos no Infantil II). Mas, quando ele realmente começou a participar e ser parte integrante do Infantil II, a turminha não o recebeu tão bem, as amizades já estavam formadas e ele foi um pouco rejeitado. Ficou muito tímido, falava e participava pouco. Chorou um dia e chamou pela professora da turma anterior no outro. Depois, ficou agressivo, bateu em alguns coleguinhas e tentou morder outros. Aos poucos e com muita conversa ele tem melhorado. Às vezes, pede pra passar na turma do Infantil I brinca e conversa com os amiguinhos e as professoras. 
Um fato que me chamou atenção foi a implicância dele com um certo coleguinha. Eu não imaginava que a empatia, a afinidade já aparecia tão cedo... O Artur e esse colega não se batem, é impressionante! Eles não brincam juntos, quando se esbarram um empurra ou dá um tapa no outro. Hoje presenciei uma situação dessas assim que deixei o Artur na salinha, o menino veio e puxou a camisa dele e ele revidou com um tapa no braço. Voltei e chamei a atenção, conversei e pedi pra ele pedir desculpas pro amigo.

                                         

"Não é o mais forte que sobrevive,nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças!"Charles Darwin

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Palavra Cantada (ou O primeiro show do Artur)


Sábado foi dia de ir ao Centro de Convenções assistir o show da Palavra Cantada. Desde que conheci algumas músicas, fiquei fascinada e quando vi a divulgação do show decidi que levaria o Artur para assistir. Consegui comprar os ingressos num site de desconto coletivo, o que me animou mais. E ainda descobri que meu primo, a mulher dele, a filha (prima do Artur) e a minha prima também iriam. E conseguimos marcar as cadeiras todas juntas. Perfeito!
Eu conhecia poucas músicas da Palavra Cantada, e do que foi apresentado no show eu conhecia apenas duas: Sopa (O que que tem na sopa do neném? Será que tem espinafre? Será que tem tomate? Será que tem feijão?...) e Rato (Rato meu querido rato, eu não sou assim de fino trato pra selar esse contrato. Minha luz é passageira, fico sempre por um triz. Mesmo quando estou inteira, vem a nuvem me cobrir...). E não fazia ideia de como o Artur iria reagir, fiquei com medo dele acabar dormindo e nem assistir. No início ele ficou bem tímido, quieto, mas hipnotizado. Entrei na brincadeira e comecei a cantar (errado mesmo) e dançar e ele se animou junto. 
Confesso que não sei quem se divertiu e se cansou mais... Tia Didi então, sabia cantar todas as músicas e dançava mais empolgada que as crianças.
O show tem um figurino lindo, as músicas são maravilhosas e eles seduzem o público de uma forma fantástica. Mas, senti falta do cenário e achei muito curto também (apenas 1h), pensando que eu paguei com desconto mas tiveram pessoas que pagaram R$200 a inteira.
O Artur AMOU! Até hoje lembra do show, canta e dança as músicas. Quando tenho um tempo entro na brincadeira com ele e é a maior diversão.   
Esse final de semana terá O Mágico de Oz, mas ele estará com o pai. Mas, nos próximos shows ou teatros que tiverem pretendo levá-lo! 

segunda-feira, 28 de março de 2011

Boi da cara preta

Depois que aprendeu a cantar... cada noite é uma música diferente... E como eu e qualquer outra pessoa que vai colocá-lo pra dormir costuma cantar pra ele, o Artur entendeu que ele tem que cantar pra gente dormir também. 
Essa noite "dormi" embalada com o "Boi, boi, boi, boi da cara preta! Pega o Tutuzinho que tem medo de careeeeta!". Mas ele canta repetidas vezes, em cada uma delas o nome muda: titio, vovô, titia Nana, mamãe, vovó, ... 
Eu me seguro pra não dar gargalhada. Fecho os olhos e finjo que estou dormindo. Quando ele cansa, vira pro outro lado e dorme... Espero que não esteja sonhando com o Boi da cara preta! (risos)

domingo, 27 de março de 2011

Aula de natação com bóia

Na terça-feira (22/03) o Artur fez a sua primeira aula de natação com auxílio da bóia de braço. Eu podia jurar que seria uma aula como outra qualquer. Mas, não foi. 
Já era para eu ter levado a tal da bóia para a aula na semana passada, só que esqueci. Comprei a bóia quando fomos pra praia pela primeira vez, ele tinha 8 meses e nem usou. Então, voltamos da praia e guardei, e nem lembrava onde estava. Na terça, após o almoço fui atrás da bóia para já guardá-la na bolsa. 
Quando o Artur viu, pediu pra encher e colocar no braço. Atendi prontamente aos seus pedidos. A agitação era tanta, que eu não entendi. O sono da tarde teve a participação especial da bóia. Se eu ameaçava tirar, ele fazia escândalo. Esperei ele dormir e guardei na bolsa da natação. 
A rotina foi mais ou menos igual... Fizemos o aquecimento, coloquei a sunga e a touca (outra paixão do Artur) e ele ficou pedindo a bóia... mas no início da aula ele não pode usar e deixei do lado de fora. 
No momento que coloquei a bóia, o sorriso dele era tão grande que eu sorri junto. E, como ele estava com a bóia, os meus braços que sempre o seguram não tinham razão de permanecer ali e o soltei. O sorriso do Artur transbordou, ele gargalhava sozinho. Ele estava radiante de felicidade. Tanto que, na euforia, bebeu MUITA água da piscina. Ele dava gritinhos, gargalhava, colocava o rosto na água. Infelizmente ninguém filmou... E nem registrou com fotos... Como senti falta do registro do momento, no dia seguinte antes de ir pra aula, coloquei a sunga, a touca e a bóia e tirei algumas fotos dele.
Não tenho palavras para descrever o que senti naquele momento. Mas foi, de longe, a melhor experiência que tive com ele na natação até agora. Sim, conseguiu ultrapassar o primeiro mergulho. Fiquei hipnotizada, emocionada e muito feliz por vê-lo daquele jeito. Essa vida de mãe me surpreende todos os dias! Nunca imaginei sentir nada disso... Ele é sim o responsável pelos meus sorrisos!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Primeira vez que o Artur tirou sangue

No último post comentei que fui ao pediatra com o Artur e que no dia seguinte teria que levá-lo para fazer os exames para ver se existe alguma coisa atrapalhando o crescimento dele. Como ele vai pra escolinha pela manhã, decidi que o levaria no sábado e me programei pra isso. Na sexta passei no laboratório e descobri que ele não precisaria ficar em jejum. Ufa! 
No sábado acordamos cedo, estavamos prontos pra ir, mas me enrolei de todas as formas e não o levei. Confesso que enrolei MESMO e não fui de propósito. Não dei conta! Mas me comprometi a levá-lo no próximo sábado, que seria amanhã. Só que ontem o pai do Artur me ligou e pediu para buscá-lo hoje depois da escola. O Artur conversou com o pai no telefone e combinou que iria amanhã. (Sim, já está desse jeito! E isso me assusta um pouco... rsrs Não tenho mais um bebê, ele já sabe que não depende de mim e que ele é o Artur. - depois escrevo sobre isso. rs). 
Então, hoje era o dia e não tinha mais como fugir. Apesar de acordar cedo, me enrolei inteira (impressionante!). E ele estava numa euforia louca, acordou ligado no 220v e não parava de correr pela casa. Precisei da ajuda da minha mãe e da menina que trabalha com a gente para conseguir arrumá-lo pra escola. Minha mãe percebeu a minha enrolação, tremedeira, nervosismo, agonia e resolveu ir comigo. Ainda bem! Se ela não tivesse entrado no carro comigo, tenho quase certeza que passaria reto pelo laboratório, como quem tivesse esquecido. 
No laboratório tinha um homem tocando violão e o Artur, como bom amante da música e do violão, ficou hipnotizado até ser chamado. Bom... hipnotizado não significa que ele ficou quietinho. Ele falou com algumas pessoas que aguardavam, saiu entrando nos locais proibidos e quebrou um suporte de revista quando tentou escalar. Eu estava muito nervosa e tremia e ele estava sem entender nada, me olhava com aquele olhar curioso e apreensivo. A mulher que nos atendeu pareceu muito insegura (o que me deixou mais nervosa) e enrolou demais para tirar o sangue. E, ele só chorou porque ela furou errado e acabou machucando. Mas chorou pouco, ainda bem! No final ganhei esse sorrisão que vocês podem ver na foto. E, apesar da cara alegre que ele fez olhando o band-aid, assim que chegou no carro pediu pra arrancar. Mas, chegando na escola quis colocar de novo pra mostrar para os amiguinhos. 
O Artur não é uma criança que chora, e raramente faz escândalos. Já é um rapaz! 
A mamãe permaneceu tremendo ao longo da manhã... E está sem entender o porque disso tudo! Quando ele fez o teste do pezinho eu estava sozinha e ele tinha apenas 5 dias, e eu não senti isso. A maioria das vacinas eu o levei no posto de saúde ou no laboratório sozinha e não fiquei nervosa. Me sentia mal de ter que segurá-lo com muita força... 
Agora... só a saudade que está me consumindo, como SEMPRE!  


sexta-feira, 18 de março de 2011

O bebê está crescendo e aparecendo!

Prestes a completar 1 ano e 11 meses (21/03), o Artur demonstra muita independência em qualquer ambiente e circunstância. 
No carnaval, fomos na Baratinha e ele se divertiu e brincou com todos que estavam por lá. Ah, só ficou com medo do palhaço na perna de pau que se apresentou junto com o Pé de Cerrado. Mas não chorou, apenas quis ficar no colo. 
Na escola, vai pra turma do Infantil II (criança de 2 a 3 anos). Hoje assinei o documento pra autorizar a mudança e conversei com a coordenadora da escola. Ela falou que na segunda ele já começa a adaptação na nova turma (que vai durar no máximo uma semana). Mas que ela tem certeza que ele irá se adaptar muito bem, que ele é muito independente e responde muito bem aos estímulos. O único motivo dele não ter ido para essa turma no início de fevereiro foi a nova Resolução. Mas, também me lembrou que quando ele estiver com 5 anos terá que passar pela avaliação psicopedagógica. 
E na natação o Artur vai para o Bebê II. No próximo mês não precisarei mais entrar na piscina e fazer aula junto com ele. A turminha tem até 6 alunos e uma professora, com apoio de plataformas e brinquedos, os pequenos peixinhos se deslocam, mergulham, aprendem a dar as primeiras braçadas. (E a mamãe vai poder malhar nesse horário!
Na quarta-feira fomos na pediatra, eu estou preocupada com o crescimento dele (está na linha amarela no gráfico). Mas nesse último mês ele cresceu 2cm e engordou 1,5kg, o que não o tirou do amarelo, mas já é MUITO positivo. Faremos amanhã os exames pra saber se por acaso ele tem alguma coisa que possa estar atrapalhando no crescimento (conto aqui depois). Passamos mais de 1h na sala de espera da pediatra, o que foi super estressante. Imagina uma criança de 1 ano e 10 meses parada por 1 hora? Tentei de tudo pra segurá-lo ali e ele se comportou muito bem. Como o consultório é no Terraço Shopping, decidi premiá-lo e o levei na brinquedoteca. Piscina de bolinha? Que nada! Artur fez amizade com a Lalá (uma menina linda, de 5 ou 6 anos) e brincaram juntos, subindo e descendo o escorregador de todas as formas possíveis e percorrendo a brinquedoteca e seus obstáculos na mão e contramão. Inclusive, disputando corrida! 
Falando de independência... 
Artur já tira o short, o sapato e a meia sozinho e dá um tapinha no peito e levanta as mãos pedindo ajuda pra tirar a camisa. 
Avisa quando vai fazer xixi, e até já fica muito tempo sem fralda e procura uma plantinha ou vai até o banheiro pra fazer xixi SOZINHO! 
Conta histórias que viveu, inventa histórias com os brinquedos e bonecos, canta as músicas do Barney e da Xuxa (dança em algumas). 
É extremamente carinhoso! Abraça e beija todo mundo. Massssssssss... reage no primeiro momento com estranhos e demonstra agressividade em alguns momentos (bate, empurra, grita), principalmente quando contrariado. 

quarta-feira, 16 de março de 2011

Difícil decisão

Eu já sabia que ser mãe não seria fácil. Mas nunca imaginei a quantidade de desafios que apareceriam pela frente.
No início desse ano fui informada pela escola do Artur que havia uma nova Resolução do Ministério da Educação que a criança deve ter idade de 6 anos completos até o dia 31 de março para ingressar no primeiro ano do Ensino Fundamental. Até o ano passado, a criança deveria ter a idade até o dia 30 de junho.  
Resolução n° 6, de 20 de Outubro de 2010:
Art. 3º Para o ingresso no primeiro ano do Ensino Fundamental, a criança deverá ter
idade de 6 (seis) anos completos até o dia 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula.
Art. 4º As crianças que completarem 6 (seis) anos de idade após a data definida no
artigo 3º deverão ser matriculadas na Pré-Escola.
O Artur completa 2 anos no dia 21 de Abril. E, por isso, ele teve que ser matriculado no Infantil I (mesma turma que frequentou no ano passado). Na reunião que a escola marcou para explicar sobre a nova Resolução para os pais dos alunos do Infantil IV e V, fui a única mãe de aluno do Infantil I presente. Lá, fui convencida que o Artur permaneceria na turma, deixando-o dentro das novas regras desde agora. Melhor do que mais tarde ter que regredí-lo. Existe a possibilidade da criança na mesma situação dele (que completa a idade depois de 31 de março) ir para o Infantil II (caso dele), para isso preciso assinar um documento assumindo a responsabilidade. E, quando ele for para o Ensino Fundamental terá que fazer um teste psicológico e pedagógico para garantir que ele tem maturidade (principalmente) e conhecimento suficiente para acompanhar a turma. 
As aulas começaram no dia 1° de fevereiro e eu estava muito tranquila e certa de que estava fazendo o melhor pro Artur. Mas, na nova turma, ele é o mais velho, a maioria das crianças vieram da creche (recém completaram 1 ano). Segundo a professora ele é o monitor, o ajudante, e além das atividades propostas para os outros, ele tem atividades extras. O fato é que me questionava todos os dias o que é melhor: permanecer nessa turma e estar de acordo com o Ministério da Educação, ou arriscar a adaptação dele na outra turma, assinar a responsabilidade e ir contra o Ministério da Educação. 
Ontem eu consegui tomar a decisão! Teve uma reunião de pais só da turminha do Artur com a professora. Tudo que vi e ouvi os outros pais conversando e contando era tão diferente da realidade do meu filho. Outra etapa, outro momento. Ao final da reunião, pedi para a professora para fazermos uma reunião com a coordenadora e mudarmos o Artur de turma. Ela ficou de conversar com a coordenadora essa semana e me posicionar. Pedi pra fazermos um teste de uma semana para ver como o Artur se comportaria do Infantil II. 
Não sei quais consequências poderia ter ele ficar no Infantil I, limitado a atividades de crianças de 1 ano e fazendo atividades extras sozinho. E ainda não sei as consequências de deixá-lo realizar as atividades com crianças de 2 anos, que irão exigir maior responsabilidade e maturidade. 
Escolhi confiar no que eu acredito que é o certo! Espero estar certa... 

sábado, 12 de março de 2011

Único


Porque ele me faz ver o mundo com outros olhos.
Porque ele me faz acreditar que tudo é possível.
Porque por ele eu sou capaz de absolutamente tudo.
Porque com ele todos os meus dias são ensolarados.
Porque com ele meu sorriso é instantâneo.
Porque ele me permitiu renascer.
Porque ele me ensina o que é o amor.
Artur, AMO VOCÊ!